18 de setembro de 2017

Governo do Estado inaugura nesta terça feira Centro Tático Aéreo e CIOPS em Imperatriz



A Região Tocantina ganha, a partir desta terça-feira (19), um importante reforço na segurança. O município de Imperatriz foi escolhido para sediar a mais nova base do Centro Tático Aéreo (CTA), estrutura da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) para utilização de aeronaves em operações policiais e de prestação médica. 

O CTA consiste em um grupamento de elite do Maranhão que visa combater crimes de alta periculosidades em diversas missões em todo o estado, dando suporte aos sistemas de segurança. Já são mais de 20.000 horas de voo sem registro de acidente. 

De acordo com o diretor do CTA, coronel Ismael Fonseca, a base será instalada no quartel do 3º Batalhão da Policia Militar de Imperatriz e deve contar com uma aeronave, um piloto e uma equipe de operadores que já estão passando por um processo de requalificação. 

O poder de abrangência da base será de 100 milhas náuticas, o que corresponde ao atendimento de 29 municípios e cerca de 1 milhão de habitantes, em até uma hora, a partir da base. 

As instalações ainda contam com um amplo hangar que terá acomodação para aeronave, reserva de armamentos, departamento administrativo e alojamentos. Com a nova estrutura, o Maranhão já conta com duas bases fixas do CTA, sendo a central localizada em São Luís. 

Por meio da SSP, o Governo deve implantar, nos próximos meses, outro ponto descentralizado, no interior do estado, dessa vez no município de Presidente Dutra. 

Segundo o titular da SSP, Jefferson Portela, as duas cidades serão as primeiras a ganhar os centros aéreos por estarem em pontos estratégicos para o desenvolvimento das operações do CTA. 

Ciops 

Será inaugurado, ainda, o Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS) de Imperatriz, que funciona há aproximadamente 25 dias nas dependências do 3ª Batalhão de Polícia Militar do município. 

No Batalhão, as equipes da Polícia Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros trabalham em um sistema integrado que abrange cerca de 30 municípios da Região Tocantina, um trabalho conjunto que possibilita rapidez na tomada de decisões. 

O CIOPS de Imperatriz atende o público pelos telefones 190 e 193, e concentra ainda registros de ocorrências do Sistema Nacional de Informação de Segurança Pública (SINESP), por meio de parceria da SSP com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP).

Sonia Guajajara denuncia ameaças contra Amazônia no Rock in Rio


Algo digno de nota e registro aconteceu ontem no show da cantora norte-americana Alicia Keys. A participação da liderança indígena Sônia Guajajara, maranhense, natural de Amarante e com residencia em Imperatriz, trouxe uma grito de denuncia acerca do vem acontecendo com a nossa Amazônia.

Sônia Guajajara falou para os milhares de brasileiros presentes nesta edição do festival Rock in Rio que existe uma guerra contra a Amazônia, que os povos indígenas e o meio ambiente estão sendo brutalmente atacados. “O governo quer colocar à venda uma gigantesca área de reserva mineral”, afirmou em seu discurso.

Dia 20 deste mês acontecerá votação no senado para aprovar ou não o Decreto nº 9.142 que regulamenta a exploração na Reserva Nacional do Cobre e seus associados. A líder indígena fez um apelo aos senadores: “vocês têm a chance de evitar isso e nós estaremos de olho. ”

Quem é Sonia Guajajara ? 

Os Awá Guajá é um povo que mantém sua forma ancestral de sobrevivência, e dentro desta área existe um povo aguerrido, Os Guajajara. No seio destes nasceu Sonia Bone, ou Soninha, como os mais próximos costumam chamá-la. Soninha teve uma infância típica daqueles da comunidade: ajudava os pais na roça, vendia farinha de mandioca, brincava e estudava. Soninha sempre foi desbravadora, curiosa, dedicada e corajosa. 

Acreditava que a Educação era a ferramenta que poderia mudar o mundo. Aos 17 anos se tornou liderança de seu povo e freqüentou um curso de Medicina Natural em São Paulo, vindo a formar-se em Letras e trabalhando como Professora de Português. 

Sua primeira experiência como militante indígena foi durante a Conferência da Marcha Indígena, quando se discutiu o Estatuto dos Povos Indígenas. Em 2007 participou do Fórum Permanente da ONU, para questões indígenas. 

Assumiu coordenações nas organizações indígenas nacionais, vindo a representar os indígenas da America na Assembléia da ONU em 2008, na cidade Nova Yorque, EUA. Por tudo isso recebeu recentemente a medalha “18 de Janeiro”, concedida pelo Centro de Defesa dos Direitos Humanos “Padre Josimo” pela sua firme atuação a frente da Coordenação Executiva dos Povos Indígenas (APIB).

16 de setembro de 2017

Brandão: "nós não temos nenhum aliado nosso que diz ‘eu quero marchar com Roberto Rocha"


Em entrevista ao Jornal Correio, o vice-governador Carlos Brandão comentou acerca do ingresso de Roberto Rocha ao PSDB e eleições 2018.

"Isso é uma coisa que vai nos levar a conversar com a direção nacional para rever isso, porque eu não posso ficar com toda a base insatisfeita”, explicou Brandão, que é o presidente da sigla no estado.

Escorraçado do PSB recentemente, o senador Roberto Rocha filiou-se agora ao PSDB para tentar candidatura ao governo do estado em 2018, porém vem enfrentando enorme rejeição de lideranças e base do partido.

Brandão declarou ainda, que todos os envolvidos deveriam ter sido consultados, para que o assunto fosse tratado com maior tranquilidade e deixou claro a posição da maioria dos psdbistas. “É de insatisfação, de revolta, de não concordar com esse projeto”, corroborou.

Para o vice-governador, o crescimento do PSDB foi considerável nos últimos anos, tendo o maior crescimento em termos proporcionais em relação a outros estados da federação. “Nossa próxima meta é aumentar o número de deputados estaduais e o número de deputados federais”, declarou Brandão. 

Pelo visto o único interessado na candidatura de "Asa de Avião" (carinhoso apelido dado a Roberto Rocha) é o ex prefeito Sebastião Madeira, que utiliza deste expediente para polarizar politicamente o circuito eleitoral em 2018 e com isso conquistar votos de setores anti-flavistas. Boa estratégia, mas vai ter que combinar com o povo antes.

Jerry derruba factoide de Andrea Murad e Sousa Neto no Tribunal de Justiça


O Tribunal de Justiça do Maranhão acatou recomendação da Procuradoria Geral de Justiça e arquivou processo de investigação contra o secretário de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry, de que teria oferecido dinheiro para que indígenas cessassem uma manifestação por causa de transporte escolar, ocorrida em julho de 2015 na Assembleia Legislativa do Maranhão.
A denúncia que originou o inquérito foi feita pelos deputados Andrea Murad (PMDB) e Sousa Neto (PROS), mas não passou de mais um factoide inconsistente tendo como base apenas notícias de blogs e prints de mensagens pelo celular ainda por cima manipuladas.
Consta nos autos que o líder indígena, Uirauchene Alves, teria supostamente recebido propina da servidora estadual Simone Gauret Lima Limeira (também arrolada no processo) e Jerry oferecido dinheiro para que os indígenas cessassem os protestos. Depois de utilizar blogs para citar a tal proposta, em depoimento, Uirauchene voltou atrás e negou ter ocorrido qualquer tipo de negociata, muito menos o pagamento.
Segundo a promotoria, trechos encaminhados ao Ministério Público de conversas no WhatsApp em que supostamente havia sido feita a negociação foram suprimidos. “Naquele documento, em que há registro de conversas realizadas através do aplicativo WhatsApp, vê-se nitidamente que as falas do interlocutor estão suprimidas, mantendo -se apenas os textos supostamente escritos por Simone Gauret Lima Limeira, ali identificada como “Simone prefeita” […] A supressão de mensagens de texto do interlocutor impossibilita a atribuição de sentido às mensagens atribuídas à investigada Simone Gauret, dando margem a várias interpretações. Não há como estabelecer a data em que as mensagens foram enviadas e mesmo se foram no mesmo dia. O documento, portanto, ante a total ausência de clareza do sentido do texto ali contido, não é idôneo para a demonstração da suposta solicitação de valores”, diz o procurador Geral de Justiça, Luís Gonzaga Martins Coelho.
Documentos obtidos pela Polícia Civil e anexados ao processo mostram que as conversas trocadas entre Simone e Uirauchene tiveram caráter profissional, o líder indígena representava a empresa em nome de Fabiola Sousa Carvalho, com quem mantinha um caso extraconjugal. No dia das manifestações, Simone pede “ajuda” para acalmar os ânimos e diz acreditar no governador Flávio Dino. (Veja documento).

Diante da fragilidade e inconsistência da denúncia, o procurador chega a citar a falta de uma prova se quer no processo. “Não há menção, nos autos, à existência de qualquer prova documental da suposta oferta de valores que teria sido feita pelo investigado e tampouco, de testemunhas capazes e confirmar o alegado na representação subscrita pelos deputados Andrea Murad e Sousa Neto”.
Vale ainda destacar que a manifestação na Assembleia ocorreu depois da Procuradoria Geral do Estado – PGE suspender os pagamentos as empresas que realizavam o serviço de transporte escolar em aldeias porque suspeitava que algumas não prestavam o serviço, isso ocorreu logo no primeiro semestre da gestão do atual governo. Nos autos, o Ministério Público identificou ainda que Uirauchene tinha histórico de baderna, sua origem indígena era questionada e atuava em caráter próprio, porque representava os interesses da amante.
Diante do exposto, o desembargador do Tribunal de Justiça, Vicente de Castro, aceitou a recomendação do Ministério Público pelo arquivamento do processo.  A decisão foi tomada em abril, contudo somente agora foi publicada.
Pelas redes sociais o secretário Márcio Jerry desabafou:
“Uma acusação da deputada Murad sem pé nem cabeça feita a mim e à companheira de partido Simone virou inquérito policial […] Acusação, a propósito, feita a partir de postagens em blogs de declarações atribuídas ao empresário de transporte indígena Uirauchene Alves. Eis que finalmente Justiça feita. A Política investigou e nem um elemento, por mais frágil que fosse, conseguiu encontrar para sustentar a acusação. MP se pronunciou em despacho muito bem fundamentado constatando não haver nada que pudesse nos incriminar”.

15 de setembro de 2017

Carlos Hermes: "Com o governador Flávio Dino, solicitei a criação da Superintendência de Cultura Em Imperatriz


Por meio das redes sociais o professor e vereador Carlos Hermes manifestou seu apoio a causa da Cultura em Imperatriz, A segunda maior cidade do estado reivindica uma superintendência própria para descentralizar bens, equipamentos e serviços.

"Em uma reunião com os vereadores no Palácio dos Leões cobrei especialmente para nosso governador Flávio Dino que seja efetivado nossa Superintendência, com todas as políticas culturais necessárias para nossa região". Afirmou o edil.

Carlos Hermes é mais um que soma a esta luta que é da cidade. De todo nós. A cultura é uma área estratégica em todas as realidades e responde por uma parcela significativa do do PIB no Brasil.

Vamos em frente !

 


Imperatriz clama por uma Superintendência de Cultura do Estado



A segunda maior cidade do Estado do Maranhão e pólo aglutinador da região tocantina não pode mais viver sem uma Superintendência de Cultura do Estado.

O órgão serviria para responder com mais celeridade as demandas locais do produtores culturais da região. Hoje pela manhã com a visita do Secretário de Estado da Cultura Diego Galdino, no Teatro Ferreira Gullar, artistas e produtores culturais deixaram bem  evidente esta dívida histórica.

Só assim estaria-se de fato conhecendo de perto a realidade da gestão cultural em cada município maranhense e aproximar o Governo do Maranhão das gestões municipais para desenvolver políticas públicas descentralizadas e efetivas.

A cultura é uma área estratégica em todas as realidades e responde por uma parcela significativa do do PIB no Brasil. No Maranhão é público e notório que os recursos ficam centralizados em São Luis.

O governo Flávio Dino vêm fazendo um grande esforço para mudar esta situação porém um primeiro grande passo já seria dado se a Superintendência fosse criada com todas as competências necessárias.

Na reunião de hoje pela manhã Diego Galdino anunciou que após todo o "dever de casa" pronto até o final deste ano deverá ser criado o orgão vinculado à administração central, responsável para  articular, propor, coordenar e executar as ações devidas.

Só que segundo os produtores locais e empreendedores do turismo, corre-se o risco de sair tarde. Então quanto antes melhor.


14 de setembro de 2017

Lula bate-boca e Moro encerra abruptamente o depoimento


Coluna Radar – O depoimento de duas horas de Lula ao juiz Sergio Moro terminou em discussão entre os dois. Lula acusou o magistrado de agir com parcialidade, e de ser refém da imprensa nacional.
“Não posso deixar de dizer que esses processos contra mim virassem vocês reféns da imprensa”, disparou Lula em suas considerações finais.
O advogado de Lula, Cristiano Zanin, diz que Moro, inclusive, cita reportagens jornalísticas.
“Vou chegar em casa amanhã almoçar com 8 netos e uma bisneta de 6 meses. Posso olhar na cara dos meus filhos e dizer que vim a Curitiba prestar depoimento a um juiz imparcial?”, diz Lula.
Moro responde irritado.
“Não cabe ao senhor perguntar isso a mim. Mas de todo modo sim”, disse.
“Não foi o procedimento na outra ação”, rebateu Lula.
“Eu não vou discutir a outra ação com o senhor. A minha convicção é que o senhor foi culpado. Se fossemos discutir aqui, não seria bom para o senhor”, disse Moro.
Lula então, diz que tem que discutir sim. “Vou esperar que a justiça continue a fazer justiça nesse país”.
Moro interrompe, e encerra a gravação.
‘Palocci tem o direito de querer ser livre’, diz Lula
Em considerações finais no depoimento, Lula tergiversou sobre o objeto da ação penal. O ex-presidente aproveitou a oportunidade para desabafar quanto a delação do Palocci.
No começo do discurso, o juiz Moro o alertou:
“Não é momento de campanha”, disse. Mesmo assim, o petista seguiu por quase cinco minutos.
“Palocci tem o direito de querer ser livre”, afirmou ele. Mas “se você não quer assumir ato ilícitos, não jogue em cima dos outros”.
“Tenho lidado com muita paciência”, disse Lula
 Para Lula, depoimento de Palocci é coisa de ‘roteirista’
Na bronca com o amigo, Lula disse que o depoimento de Antonio Palocci foi uma coisa quase “cinematográfica”, de “roteirista da Globo”. “Preparam os leads para ele”, disse o ex-presidente.
“A única verdade que ele disse é que ele estava fazendo a delação para obter os benefícios”, afirmou o petista.
“Ele termina o depoimento da forma magistral que o MPF queria: ‘O Lula conversou comigo sobre obstrução de justiça’”. Para Lula, é tudo invenção e frase de efeito. “Eu não admito que ninguém diga que eu queria obstruir a justiça!”, disse.
“Eu não tenho raiva do Palocci, tenho pena dele”, afirmou o ex-presidente.
Lula: ‘Delcídio fez pacto com Miller e a Globo contra mim’
Lula disse que vai derrubar na justiça todas as denúncias feitas pelo Ministério Público contra ele.
Ele diz ainda que as denúncias são apenas ilações dos procuradores, e que o ex-aliado Delcído do Amaral é um “mentiroso”.
“Vi o Ministério Público me incluir na denúncia do Delcídio. Tem mais de 20 perguntas do Delcídio comigo”, disse Lula
Delcidio é um mentiroso descarado, que foi fruto de um pacto entre o Miller e a Globo para fazer denúncia contra mim”, disse ele, se referindo ao ex-procurador Marcello Miller.

FABER: O sonho não acabou


O cantor e guitarrista Chiquinho França junto com outros grandes músicos regionais, têm feito uma campanha vigorosa por uma nova edição do Festival Aberto do Balneário Estancia do Recreio (FABER).

O FABER foi um grande evento musical em um época de ouro da Música Popular Brasileira, que nos apresentou nomes talentosos como Nenem Bragança, Erasmo Dibell, Carlinhos Veloz, Wilson Zara, Glauber Martins, Celin Galhães,  Henrique Guimarães e muitos outros. 

Uma geração de músicas que ficaram para sempre na memória popular foram compostas durante o festival que abriu as portas de Imperatriz para artistas de todo o Brasil tais como Zé Ramalho, Gilberto Gil, Fagner, Zé Geraldo.

Infelizmente com a queda comercial da MPB, suprimida pele sertanejo romântico, que, estranhamente tornava-se comercial,  o FABER acabou tendo sua ultima edição em 1991.

"Houveram alguns edições que o Connor Farias realizou, mas não contabilizamos como oficiais", disse o guitarrista.

"Quero que o festival seja realizado. Se caso a Fundação Cultural de Imperatriz tope assumir o projeto, sem problemas, eu entrego". Finalizou Chiquinho França.

FECOIMP

Os organizadores do FABER 2017 estão com um stand montado na FECOIMP deste ano. A ideia é montar um birô de idéias, divulgar o evento a partir da venda de camisetas e realizar apresentações com artitas locais. A Fecoimp acontece no Centro de Convenções de 13 a 16 de setembro. 

Vamos lá ! 

13 de setembro de 2017

Governador Flávio Dino participa da 17º Fecoimp


Reunir a classe empresarial em oportunidades de negócios, troca de experiência e interação sobre novidades tecnológicas e demais inovações do setor. Com este foco, a Feira do Comércio e Indústria de Imperatriz (Fecoimp) promove mais uma edição, propondo atrair o maior número possível de empreendedores para impulsionar a atividade na região. 

Com o tema ‘Todos os negócios se encontram aqui’, o evento terá participação do governador Flávio Dino na solenidade de abertura. A Fecoimp será realizada de 13 a 16 de setembro, no Centro Convenções de Imperatriz. 

Na programação, mais de 70 palestras, minicursos, workshops, oficinas e seminários; 16 estandes de alimentação variada; e 11 atrações culturais. Uma das novidades é o Salão do Empreendedor, que tem parceria do Sebrae-MA e vai oportunizar mais de 30 palestras sobre estratégias para a comercialização de produtos e serviços de microempreendedores. 

No Espaço Tecnologia, será realizada a Corrida das Startups, com prêmio para a melhor ideia empreendedora. No Espaço Circuito de Negócios, o foco é ampliar a compra e venda de produtos; e no Espaço Executivo, os empresários se reúnem para negociações. São esperadas mais de 36 mil visitantes nos 220 estandes, nos quatro dias de evento. 

“A Fecoimp, a cada ano, prova sua viabilidade no estímulo e fortalecimento dos negócios no setor, mantendo a movimentação da economia”, destaca o secretário de Indústria e Comércio (Seinc), Simplício Araújo. Na feira, o empreendedor pode ainda lançar produtos, compartilhar tecnologias e inovações; conhecer ideias sustentáveis; e negociar em um ambiente adequado para a atividade. 

“É um grande evento empresarial de integração e divulgação do comércio e indústria do município e o maior evento multissetorial do Estado. A parceria do Governo e demais apoiadores é de grande importância para perpetuar este evento e projetar o município”, enfatiza o coordenador da Fecoimp, Leonardo Leocádio. 

Em edições anteriores, a Fecoimp reuniu mais de 1,7 mil expositores firmando negócios a nível estadual e nacional; realizou mais de 500 atividades; e recebeu mais de 480 mil visitantes. 

Parcerias 

Resultado da ação conjunta público-privada, a Fecoimp é promovida pela Associação Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII) em parceria com Governo do Estado; Grupo Mateus; Fecomércio; Ferrovia Norte Sul (VLI); Suzano Papel e Celulose; Prefeitura Municipal de Imperatriz; Devry Facimp; Fiema; Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF); bancos da Amazônia (BASA), Banco do Brasil e Banco do Nordeste; e Governo Federal. 

Tem ainda apoio do Sebrae, do Conselho de Jovens Empresários de Imperatriz (Conjove), Sesc; e 50º Batalhão de Infantaria de Selva (50º BIS). SERVIÇO: 

O que? 17º Fecoimp 
Onde? Centro de Convenções de Imperatriz, Rua Hermes da Fonseca, Centro. 
Quando? De 13 a 16 de setembro, a partir das 18h30 (abertura).

Fonte: Ascom

11 de setembro de 2017

PCdoB fará " coalizão plural e republicana" , afirma Marcio Jerry


Para o pleito que se avizinha em 2018, o PCdoB, vem articulando uma ampla aliança com doze partidos. Em entrevista ao Valor Econômico, o atual governador Flávio Dino foi enfático ao justificar tais acordos ecléticos.

Para Dino sua chapa “não pode ir apenas à esquerda”. “Aqui é a eleição entre os Sarney e os não Sarney”, afirmou. “Não se consegue enquadrar os jogos políticos estaduais na dinâmica nacional”. Prevalecem as relações locais”.

DEM, PSDB e PEN são alguns dos partidos que estão nas rodadas de conversas. O dirigente comunista Márcio Jerry diz que a aliança é “uma coalizão plural e republicana”. A um ano da eleição de 2018, a chapa de Dino já conta com 12 partidos, 3 a mais do que em 2014.

Para disputar o senado, o bloco apresenta por enquanto três nomes: José Reynaldo (PSB), Eliziane Gama (PPS), Werverton Rocha (PDT) e Waldir Maranhão (PP). Segundo consta o PT também estaria interessado em disputar o senado.

Em nossa atual conjuntura estruturalmente conservadora e com fortes traços reacionários temos visto se instalando, sob a batuta do golpista Temer a retirada de direitos trabalhistas, previdenciários, sociais. Violências contra as mulheres, Negros, Lgbts. Ofensiva contra quilombolas e indígenas. Retrocessos na pauta ambiental.

É muito importante termos referências aglutinadoras com clareza desse cenário que aí está. 

O  "segredo", me parece, está em combinar a mobilização dos extremos e o encantamento da consciência de centro, menos radical na sua atuação e na sua pauta também. Pauta para o bom debate, inclusive.

Flavio Dino ajuda muito a pensar sobre estas questões.

Ministério Público confirma massacre em tribo isolada do Amazonas


À agência Amazônia Real, o Ministério Público Federal (MPF) confirmou que mais de 20 indígenas de uma tribo isolada do extremo oeste do estado do Amazonas foram assassinados por garimpeiros ilegais. O assassinato teria acontecido no último mês de agosto. 

Conhecidos como “flecheiros”, os índios teriam sido mortos na cidade de São Paulo de Olivença, na fronteira do Brasil com o Peru e a Colômbia. O massacre vem pouco tempo depois de outro ataque de garimpeiros que matou mais de vinte indígenas isolados da tribo Warikama Djapar, no Vale do Javari – este caso aconteceu em maio. 

Em nota, a ONG Survival colocou na conta do governo Temer as recentes mortes de indígenas. “Caso tais relatos sejam confirmados, o Presidente (Michel) Temer e seu governo possuem uma grande responsabilidade por este ataque genocida. Todas estas tribos deveriam ter tido suas terras devidamente reconhecidas e protegidas há anos – o apoio aberto do governo àqueles que querem violar territórios indígenas é extremamente vergonhoso”, diz o texto. 

Uma barbaridade que não pode ser abafada!

Com informações do site da Revista Fórum
Postagens mais antigas Página inicial